Sexta, 24 de Setembro de 2021
20°

Alguma nebulosidade

Rio de Janeiro - RJ

Geral Pará

Jucepa promove capacitação de gestores sobre a Redesim em Cametá

Município com papel especial na história do Pará, Cametá recebe conteúdo para modernizar e acelerar o processo de abertura de empresas

15/09/2021 às 20h05
Por: Redação ND1 Fonte: Secom Pará
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Secom Pará
Foto: Reprodução/Secom Pará

Cilene Sabino, presidente da Jucepa, abriu o seminário em Cametá
Cilene Sabino, presidente da Jucepa, abriu o seminário em Cametá - (Foto: Divulgação)
O município de Cametá, na Região de Integração Tocantins, recebeu nesta quarta-feira (15) a sexta etapa do Projeto Jucepa Itinerante, com a realização do Seminário “Integrando os Novos Gestores Municipais à Redesim”, no auditório do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). O evento, promovido pela Junta Comercial do Pará (Jucepa), tem o objetivo de capacitar e esclarecer dúvidas dos novos gestores municipais e da população local sobre a importância da implantação da Redesim, para viabilizar a transformação digital no Estado. 

Produtos do Banpará foram apresentados aos participantes
Produtos do Banpará foram apresentados aos participantes - (Foto: Divulgação)
Considerada uma das cidades mais antigas do Pará, e do Brasil, Cametá desempenhou papel crucial na revolta popular da Cabanagem, no século XIX, quando chegou a ser capital da Província do Grão-Pará. Seus inúmeros bens culturais, materiais e imateriais, lhe renderam o título de Patrimônio Histórico Nacional. Atualmente com 2.825 empresas ativas, divididas em micros, pequenas, médias e grandes empresas, a economia da região de Cametá tem como base extrativismo vegetal, agricultura, comércio, construção, indústria em geral e serviços.

A presidente da Jucepa, Cilene Sabino, ressaltou em sua palestra o papel da Redesim no desenvolvimento econômico local. "Só agora, em 2021, foram registradas 390 empresas. Fazendo um comparativo com os anos de 2018 e 2019, quando não havia pandemia (de Covid-19), foram 207 e 355, durante todos os anos. Ou seja, podemos ver que o município, em apenas oito meses, já ultrapassou os dados de 2018 e 2019. Isso significa que as empresas estão vindo para a região, e a integração com o sistema da Redesim facilita os processos de abertura de empresas, além de aumentar a arrecadação municipal", ressaltou Cilene Sabino. 

Modernização- O prefeito de Cametá, Victor Cassiano, destacou a parceria com o governo do Estado e a implantação do sistema 100% digital no município, que vai trazer celeridade aos serviços de abertura de empresas. "Agradeço a vinda da Jucepa ao município, que em parceria com o Governo do Pará tem trabalhado pra fortalecer a economia no Estado. Reafirmo que a modernização do sistema é um compromisso da minha gestão, para simplificar e desburocratizar a vida daqueles que desejam investir no município, além de contribuir com aquele empresário que deseja sair da informalidade. Queremos trazer desenvolvimento e fomentar, cada vez mais, a economia em Cametá neste momento tão difícil de pandemia", afirmou o gestor municipal.

Palestra sobre Cooperativismo como Alternativa de Desenvolvimento Local
Palestra sobre Cooperativismo como Alternativa de Desenvolvimento Local - (Foto: Divulgação)

O evento contou com a participação de contadores, advogados, técnicos e usuários do município, que assistiram, entre outras, às palestras Ambiente de Negócios; Inovação; Tecnologia e o Papel do profissional de contabilidade no desenvolvimento regional; Licenciamento do Corpo de Bombeiros; Banpará Produtos, e Cooperativismo como Alternativa de Desenvolvimento Local. 

A caravana prossegue nesta quinta-feira (16) no município de Igarapé-Miri, também na região do Tocantins, com a realização do seminário na Secretaria Municipal de Educação, localizada na Rua 7 de Setembro, bairro Cidade Nova.

Por Fabíola Uchôa (JUCEPA)
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários