Sexta, 21 de Janeiro de 2022
24°

Nuvens esparsas

Rio de Janeiro - RJ

Saúde Saneamento Básico

Uma catástrofe chamada Saneamento Básico, por Eduardo Silva | Colunas

Para destruirmos esse círculo vicioso, precisaremos discutir qual é a nossa real vocação, temos a pior elite e classe média do planeta, insensível ao sofrimento da maioria e de baixa cognitividade; talvez os políticos mais medíocres do hemisfério.

11/03/2021 às 08h51 Atualizada em 22/03/2021 às 19h09
Por: Redação ND1
Compartilhe:
Esgoto a céu aberto na periferia / Reprodução / Internet
Esgoto a céu aberto na periferia / Reprodução / Internet

Cada real investido em Saneamento Básico, o Estado economiza cinco reais, e apesar de as ONGs (Organizações Não Governamentais), ambientalistas e Organismos Internacionais fazerem sistemáticas campanhas de conscientização, sofremos o flagelo de epidemias e subdesenvolvimento intelectual, nos fazendo prisioneiros do Clube dos Países do Terceiro Mundo, mesmo tendo riquezas que invejam o resto do Planeta.

Para destruirmos esse círculo vicioso, precisaremos discutir qual é a nossa real vocação, temos a pior elite e classe média do planeta, insensível ao sofrimento da maioria e de baixa cognitividade; talvez os políticos mais medíocres do hemisfério e, um Clero Pentecostal de avermelhar de vergonha São Francisco de Assis ou Calvino. 

Temos as maiores Bacias Hidrográficas do Mundo e, não temos uma gestão governamental que se sensibilize com a base da pirâmide que todos os dias depara-se com valas poluídas, lixões com prazo de validade vencido.

 

A solução não é a privatização pura e simples (vide Mariana) e com os gatilhos aprovados nos Governo Temer / Bolsonaro ficamos sufocados em compromissos e sem munição; para piorar,  entramos na onda Mundial da Direita de baixa responsabilidade com o Marco Civilizatório, mas, não acredito que cair no simplismo do maniqueísmo é solução pois, a Esquerda, digo, o PT varreu os Movimentos Sociais e Sindicais, seja por assimilá-los ao Poder, seja pela natural sensação de zona de conforto, porém, o  que importa é a encruzilhada em que estamos empacados, mesmo reconhecendo a olhos vistos os avanços sociais e econômicos.

Existem projetos viáveis e com baixo custo para a principio colocar o Saneamento Básico sobre a mesa, tratando com profundidade a raiz de nossos problemas ambientais referentes à qualidade de vida nas capitais e nossas 5.570 Municípios, com biodigestores portáteis ou artesanais, cultura de Agro família em pequenas cidades que representam 90% de nossos municípios, e, fortalecendo os Conselhos Municipais de Saneamento/Obra/Agricultura e Saúde, e finalmente, qualificar conselheiros comprometidos com a sociedade, se protegendo dos políticos e os fundamentalistas que se reproduzem como praga, intoxicando o ambiente, acima de tudo, precisamos ser resilientes, não como a lenda criada pelos pensadores, sermos um povo cordato e pacifico, pois, não o somos e já libertamos o monstro do fascismos em nosso espírito. 

Isso é assunto para outra proza. Um abraço!

*Carlos Eduardo da Silva*

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários