Sexta, 24 de Setembro de 2021
20°

Alguma nebulosidade

Rio de Janeiro - RJ

Geral Amazonas

Amazonastur estuda viabilidade de turismo de base comunitária na comunidade São Francisco do Caramuri

O corpo técnico da Amazonastur visitou, neste sábado (24/07), a comunidade São Francisco do Caramuri, situada na zona rural de Manaus.

25/07/2021 às 18h35
Por: Redação ND1 Fonte: Secom Amazonas
Compartilhe:
comunitária na comunidade São Francisco do Caramuri
comunitária na comunidade São Francisco do Caramuri

O corpo técnico daEmpresa Estadual de Turismo do Amazonas(Amazonastur) visitou, neste sábado (24/07), a comunidade São Francisco do Caramuri, situada na zona rural de Manaus. O objetivo da visita foi identificar potencialidades turísticas da localidade, para posterior implantação de projetos que viabilizem o turismo na região. Além de ser reconhecida pela produção de abacaxi, a comunidade promove o Festival de Pesca que atrai renda para a região.

A visita faz parte da estratégia do Governo do Amazonas para fomentar o setor em todo estado, com foco no turismo comunitário, e compõe a série de visitas técnicas que a instituição está realizando em diversos municípios, determinadas pelo presidente da Amazonastur, Sérgio Litaiff Filho. 

“O objetivo dessa visita na comunidade é para nós levantarmos o potencial turístico do local, avaliarmos possíveis atrativos turísticos da comunidade pensando no período pós-pandemia. Nosso foco também é trazer atrativos de investimentos para a comunidade”, disse Isadora Alfaia, chefe do Departamento de Projetos e Produtos da Amazonastur.

Para o presidente da Associação Comunitária Agrícola São Francisco do Caramuri (ACASFC), Daniel Leandro, a visita é um passo importante para a geração de renda e melhora da qualidade de vida da comunidade.

“Essa visita é um marco histórico e um processo que nós compreendemos que é um salto para avançar no turismo de base comunitária, visando o mercado regional, nacional e internacional. Isso vai fazer com que a comunidade tenha novas oportunidades para agregar valor, geração de renda e promover melhor qualidade de vida para as famílias e também bem-estar fazendo com que, futuramente, a gente se torne uma grande potência, sem precisar degradar a Amazônia”, disse Daniel.

Produtora de abacaxi há 20 anos, a agricultora Lucélia Nascimento também vê com bons olhos esse contato com o poder público para promover a região. “É uma oportunidade que nós temos do desenvolvimento do turismo na nossa comunidade no entorno para estar desenvolvendo um trabalho, disponibilidade de gerar emprego e expor o que a gente tem de melhor para o mundo todo”, disse Lucélia.

A visita técnica contou com a participação do diretor de Negócios e Eventos, Ian Ribeiro; do diretor de Desenvolvimento e Turismo, Gustavo Sampaio; da chefe do Departamento de Registro e Sensibilização, Giovanna Maués; da chefe do Departamento de Capacitação, Kethlenn Porto; e do assessor de Planejamento Estratégico, Daniel Bernardes.  

Caramuri 

O nome é em alusão ao fruto caramuri, típico da região amazônica. A comunidade foi fundada em 4 de outubro de 1995 e lá vivem, atualmente, 70 famílias com um total de 270 pessoas. Em 2011 o nome da fruta foi lançado para concorrer ao o nome da bola da Copa do Mundo de 2014, mas acabou não sendo escolhido. O fruto, assim como o evento esportivo, é colhido a cada quatro anos.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários