Sexta, 24 de Setembro de 2021
20°

Alguma nebulosidade

Rio de Janeiro - RJ

Saúde Paraná

Prédios públicos ficaram azul nesta semana para conscientizar sobre Síndrome do X Frágil

Iniciativa faz parte da campanha Eu Digo X, em lembrança ao Dia Mundial da Síndrome do X Frágil, celebrado em 22 de julho. Condição genética afeta ...

24/07/2021 às 09h20
Por: Redação ND1 Fonte: Secom Paraná
Compartilhe:
© Jonathan Campos/AEN
© Jonathan Campos/AEN

O poder público paranaense se uniu à campanha Eu Digo X para conscientizar a população sobre a Síndrome do X Frágil, condição genética que afeta o desenvolvimento intelectual, o comportamento e provoca atrasos na fala. O Palácio Iguaçu e o Palácio das Araucárias, sedes do Governo do Estado, e o prédio da Assembleia Legislativa do Paraná ficaram iluminados de azul ao longo de toda a semana para lembrar o Dia Mundial da Síndrome do X Frágil, celebrado em 22 de julho. A ação termina neste domingo (25).

A iluminação de prédios e monumentos públicos de Curitiba atende a um pedido do Instituto Buko Kaesemodel, entidade sem fins lucrativos que realiza pesquisas, diagnóstico, orientação e mapeamento da síndrome no Estado, além de promover o projeto Eu Digo X, que divulga informações sobre o assunto.

A Síndrome do X Frágil é causada por uma mutação no gene FMR1, que inibe ou reduz a produção da proteína FMRP, essencial para o desenvolvimento do sistema nervoso e de várias funções cerebrais.

De acordo com o Instituto Buko Kaesemodel, é a principal causa hereditária atrelada à de deficiência intelectual, e muitas vezes pode estar associada com o autismo. Ela recebe este nome porque é possível observar, nas pessoas afetadas pela síndrome, uma porção mais frágil nas células do braço longo do cromossomo X.

SINTOMAS E DIAGNÓSTICO– A Síndrome do X Frágil apresenta sintomas e sinais variados e que não são obrigatórios, o que dificulta a definição do quadro clínico, podendo inclusive ser confundida com outras condições.Por isso, a presença dos sintomas não significa que o paciente tenha, necessariamente, o diagnóstico, que é obtido através da análise do DNA e deve ser realizada quando as características físicas e comportamentais são acompanhados de deficiência intelectual.

Entre os sintomas, estão deficiência intelectual ou dificuldade no aprendizado, déficit de atenção, atraso para começar a andar ou engatinhar, atraso na fala, dificuldade em manter o olhar ao falar com alguém, face alongada e mandíbula proeminente, orelhas grandes e em forma de abano, testículos de tamanho maior que o normal, articulações mais flexíveis que o normal (hiperextensibilidade), os hábitos de agitar e morder as mãos a ponto de causar ferimentos.

A síndrome não tem cura, mas o acompanhamento profissional ajuda a melhorar a qualidade de vida da pessoa afetada e da família. Sintomas como ansiedade, agressividade e depressão podem ser tratados com medicação apropriada. Os acompanhamentos pedagógicos e psicológicos podem favorecer o desempenho escolar, e algumas terapias como fonoaudiologia e terapia ocupacional contribuem para tornar a vida social mais saudável.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários