Sexta, 12 de Julho de 2024
22°

Neblina

Rio de Janeiro, RJ

Polícia Investigação

MPF pede federalização das investigações da Chacina do Jacarezinho

28 mortes e violações de direitos humanos motivaram o pedido

10/07/2024 às 16h06 Atualizada em 10/07/2024 às 16h11
Por: Elise Ventura
Compartilhe:
Reprodução da internet
Reprodução da internet

O Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro encaminhou nesta quarta-feira (10) à Procuradoria Geral da República (PGR), em Brasília, o pedido de federalização das investigações das 28 mortes ocorridas na operação policial do Jacarezinho, em maio de 2021. A Operação Exceptis, realizada no dia 6 de maio de 2021, é considerada a operação mais letal da história do Rio de Janeiro.

Investigações em andamento e ossadas preservadas

O MPF informou que já havia expedido recomendações aos cemitérios onde os corpos das vítimas foram enterrados para que as ossadas sejam preservadas. O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) realizou 13 investigações relacionadas aos locais onde os corpos das vítimas foram encontrados. Desses casos, dois resultaram em denúncias por parte do MPRJ.

Pedido da RAAVE e outras mortes em foco

Continua após a publicidade

A Rede de Atenção a Pessoas Afetadas pela Violência de Estado (RAAVE), que levou a demanda ao MPF, também solicitou a investigação federal de outras mortes:

Samuel Bonfim Vicente e William Vasconcellos da Silva, mortos no dia 25 de setembro de 2021, no Chapadão;

José Henrique da Silva, morto em 2022, na Maré, na Zona Norte;

Julio Cesar Fernandes da Silva, morto no dia 6 de julho de 2018, na Cidade de Deus.

Continua após a publicidade

Argumentos para a federalização

O pedido de federalização das investigações foi feito pelo coordenador do Controle Externo de Atividade Policial do MPF, Eduardo Benones, que definiu a ação como "Chacina do Jacarezinho".

"Aquilo que eu devo é tomar conhecimento, analisar junto com meu gabinete e, após essa análise, é submeter ao procurador-geral da República, o que nós fizemos hoje", afirmou Benones.

"O entendimento é que esses casos traduzem graves violações aos direitos humanos, e podem representar que o estado brasileiro pode ser responsabilizado criminalmente por algum tribunal internacional", complementou.

Próximos passos

Após a análise da PGR, o caso será encaminhado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), que terá a palavra final sobre a federalização ou não das investigações. Em caso de deferimento, as investigações desses casos ficarão a cargo da Polícia Federal, sob a orientação do MPF.

Ações para a garantia da justiça e da memória

O pedido de federalização das investigações da Chacina do Jacarezinho e das outras mortes mencionadas representa um passo importante na busca por justiça e na garantia da memória das vítimas. A investigação federal pode contribuir para a responsabilização dos culpados e para a prevenção de novas violações de direitos humanos.

Continua após a publicidade
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários