Sábado, 22 de Junho de 2024
20°

Neblina

Rio de Janeiro, RJ

Polícia Suspeitade veneno

Vizinha relata encontro no elevador com Luiz Marcelo Antônio Ormond, pouco antes de sua morte

Psicóloga Juliana Viana descreve comportamento estranho do empresário e namorada, principal suspeita do crime, ainda está foragida

30/05/2024 às 14h31 Atualizada em 30/05/2024 às 15h50
Por: Elise Ventura
Compartilhe:
Reprodução da internet
Reprodução da internet

Uma vizinha teve um encontro no elevador com Luiz Marcelo Antônio Ormond pouco antes do empresário morrer. Ela entrou no elevador com ele e Júlia Andrade Cathermol Pimenta, namorada e principal suspeita da morte, segundo as investigações da polícia.

Depois de embarcar no elevador, a psicóloga Juliana Viana desceu até o térreo e o casal ficou no playground do edifício.

“Eu entrei, cumprimentei os dois, e perguntei como ele estava. Ele disse que estava bem e perguntou da minha avó e respondi. Só que ele não estava como de costume: feliz, com um sorriso na cara, feliz, como sempre falava comigo. Ele estava aéreo, com o olhar distante, meio triste, não sei dizer ao certo”, afirmou a vizinha.

A Polícia Civil investiga a morte de Luiz desde o dia 20 de maio, quando o corpo dele foi encontrado dentro do apartamento onde morava no Engenho Novo, na Zona Norte do Rio. O cheiro chamou a atenção de vizinhos, que acionaram o socorro. Júlia é considerada foragida da Justiça.

Continua após a publicidade

A defesa de Júlia não foi localizada pela TV Globo.

O laudo da necrópsia não determina a causa da morte, mas indica que o perito identificou pequena quantidade de líquido achocolatado no sistema digestivo. Os investigadores suspeitam que ele tenha sido assassinado com um brigadeirão envenenado.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários